sexta-feira, 10 de abril de 2009

Vaticano critica campanha 'Deus não existe' na Europa

Ônibus circula com o slogan 'Provavelmente Deus não existe. Então pare de se preocupar e aproveite a vida'.
CIDADE DO VATICANO - O papa Bento XVI celebrou nesta sexta-feira, 10, a Paixão de Cristo no Vaticano, quando foi feita a denúncia de que a campanha publicitária ateia 'Provavelmente Deus não existe. Então, pare de se preocupar e aproveite a vida'. A campanha é feita pela British Humanist Association (Associação Humanista Britânica, em tradução livre) e se traduz em um dos desafios, "talvez o mais aberto", já conhecido contra a fé.

A denúncia foi feita pelo Pregador da Casa Pontifícia, o franciscano Raniero Cantalamessa, que, na presença do papa e de milhares de pessoas que foram à basílica de São Pedro para assistir as celebrações da Sexta-Feira Santa, disse que os cristãos deveriam agradecer ao promotor da campanha, "já que serviu à causa de Deus mais que muitos dos nossos argumentos apologéticos". "(A campanha) mostrou a pobreza de suas razões e contribuiu para sacudir muitas consciências adormecidas", acrescentou.

Cantalamessa falou que o maior efeito do slogan dessa campanha, exposta em ônibus urbanos de Madri, Barcelona, Londres e outras cidades europeias não está na premissa de que "Deus não existe", mas sim na conclusão "aproveite a vida".

"Se subentende a mensagem de que a fé em Deus impede o desfrutar da vida, que é inimiga da alegria e que sem ela haveria mais felicidade no mundo", explicou o pregador, que acrescentou que o apóstolo Paulo dá uma resposta a esse desafio explicando a origem e o sentido de todo o sofrimento a partir de Cristo. A este respeito, manifestou que Cristo, revelando a verdade de Deus, "provoca as forças do mal e estas levaram a sua rejeição e eliminação".

Cantalamessa lembrou que nos países da antiga fé cristã a ideia de sofrimento e da cruz se associa sempre ao do sacrifício e da penitencia, "e isso provocou na atualidade a rejeição de toda a ideia de sacrifico oferecido por Deus e mesmo a ideia de Deus". O pregador afirmou que Jesus Cristo não veio para aumentar o sofrimento humano ou para pregar a resignação a isto, sim para dar um sentido e anunciar a superação.

Em suas críticas ao slogan, Cantalamessa acrescentou que essa publicidade também é vista por pais com filhos doentes, pessoas sozinhas, desempregadas, exilados que fogem dos horrores da guerra, quem sofreu grandes injustiças na vida, e que tenta imaginar a reação dessas pessoas ao ler "Provavelmente Deus não existe, aproveite a vida". "Com o que?", se perguntou o franciscano. Ele continuou e disse que o ateísmo "é um luxo que se podem permitir só os privilegiados da vida, os que têm tudo, incluindo a possibilidade de dedicar-se aos estudos e a pesquisa"1

Crise e terremoto

Cantalamessa se referiu também à crise econômica e denunciou a avareza insaciável, que qualificou de "idolatria"2 e a desenfreada cobiça do dinheiro como a "raiz de todos os males"3. Segundo o franciscano a "sede insaciável de alguns" levou muitas famílias pequenas à miséria e deixou massas de trabalhadores sem emprego4. "A elite financeira e econômica mundial se converteu na locomotora enlouquecida que avança desenfreadamente, sem se preocupar com o resto do trem, que está preso nos trilhos. Fomos todos na contramão", avisou.

Também se referiu ao terremoto que atingiu a região italiana de Abruzos, onde fica Áquila - a que mais sofreu danos -, e deixou mais 280 mortos. O pregador falou que algumas construtoras fizeram edifícios sobre areia em vez de cimento4.

A cruz coberta com um pano vermelho, colocada em um altar maior da basílica de São Pedro, presidiu à cerimônia solene da missa de Sexta-Feira Santa, durante a qual Bento XVI, descalço, orou de joelhos durante vários minutos em frente a cruz.

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,vaticano-critica-campanha-deus-nao-existe-na-europa,353021,0.htm

Os números foram acrescentados por mim, quero fazer umas observações que o pregador disse e que são risíveis.

1-) Ele fala de luxo, mas esquece que as roupas que ele usa para os cultos são as mais caras, e outra coisa ele fala de pesquisas mas porque não liberam a biblioteca que existe no Vaticano? Onde estão inúmeros exemplares raros dos evangelhos e outros escritos? Luxo é um forte das crenças visite templos, igrejas e etc, e verá quanta arte existe lá e a maior parte feita de ouro. Pesquisar com ajuda da net ficou mais fácil, só algumas coisas que são guardadas a sete chaves como já demonstrei.

2-) "Idolatria" é claro que um cara crucificado é que vende igual não é idolatria, a Bíblia mesmo é idolatrada e todos nós sabemos disso, e também as pessoas idolatram os papas olhe aquelas fotos que você pode comprar nos lugares que vendem isso.

3-) Vide papa Leão X , alguém fala pra ele que estamos em uma sociedade capitalista, e que sem dinheiro as coisas não vão pra frente, "raízes de todo mal" nesse ponto é bom lembrar que o mal está junto aos fundamentalistas, sem dialogo as coisas não vão pra frente e é uma atitude que ele está tomando.

4-) Olha que legal a primeira frase não generalista que ele diz, estamos evoluindo não sei pra onde mas estamos.

4 comentários:

Flávio Grifo disse...

Eu resumo isso em:
Santa hipocrisia da ICAR.
como de costume!

DR.HORRORmentes disse...

Pois é, eles dão tiro no próprio pé, com essas atitudes, mas tá valendo está mostrando a verdadeira face da ICAR, por isso blogues iguais os nossos são importantes Flávio!!

Guga disse...

Pois é... "Então, pare de se preocupar e aproveite a vida."

Gostaria que os ditos religiosos também seguissem este conselho e deixassem os "incrédulos" em paz.

Abraço!

Edu disse...

Como sempre a igreja critica toda a forma de pensamento que possa acabar com o seu ganha-pão. Todas as suas superstições, lendas, vendas de rituais, tudo aquilo que eles usam para servir de muletas para bobos e os mantém com os bolsos bem cheios.

Eles podem fazer suas celebrações em homenagem aos seus amiguinhos imaginários, usando o máximo de cobertura de mídia, ostentando decorações caríssimas e usando" fantasias" que dariam inveja nos carnavalescos mais escandalosos, no entanto, para eles os ateus não podem ter visibilidade nem expor a realidade. Afinal se as mentiras da religiões fossem abandonadas esses vagabundos que vivem dela iriam fazer o que das suas vidas vazias ?

Eles vivem de criar deuses, deuses esses que "estranhamente" sempre mandam obedecer aos clérigos que os inventaram, se outro grupo de clérigos inventa uma outra versão desse mesmo deus (que obviamente vai mandar obedecer o novo clero de inventores) aí um grupo passa a chamar o outro de "adorador do demônio".

É triste ver que em pleno século XXI esses embusteiros do estelionato chamado religião ainda tenham espaço no mundo.